terça-feira, 30 de novembro de 2010

Pena de Morte


Hoje dia 30 de Novembro, 1307 cidades de todo o mundo vão iluminar os seus edificios mais emblemáticos, numa chamada de atenção contra a pena de morte ( aínda utlizada em vários países). Em Portugal mais de 20 cidades aderem a esta iniciativa , sendo que a mais próxima de nós é a de Cabeceiras de Basto ( desde já os nossos parabéns pela iniciativa).
Lembramos que Portugal foi um dos países na vanguarda da abolição da pena de morte, através da reforma legislativa de 1867.
Para saberes mais, acede ao sitio da Amnistia Internacional através do link ( Imagem).

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

25 de Novembro e o Grupo dos Nove.


Segundo alguns tratou-se da confirmação dos verdadeiros ideiais da Revolução de Abril; para outros, o fim da Revolução e do Poder Popular. Aínda hoje não há certezas sobre o que foi, como foi e quem teve a prioridade nas operações do 25 de Novembro ( ver para tal alguns dos livros que já aconselhamos em particular os dos coronéis Vasco Lourenço, Otelo Saraiva de Carvalho e Sousa Castro).



Faz hoje 35 anos que nove oficiais do Movimento das Forças Armadas ( MFA), criaram um documento a exigir a criação de uma Democracia pluralista ( por oposição a uma corrente favorável à criação da chamada Democracia Popular). Este documento que ficou conhecido por " Documento dos Nove" ( subscrito por Vasco Lourenço, Melo Antunes, Vitor Crespo, Vitor Alves, Franco Charais, Pezarat Correia, Canto e Castro, Costa Neves e Sousa e Castro), teve o apoio de alguns dos principais partidos políticos da altura ( PS, PSD, CDS) e a oposição de forças de esquerda particularmente ligadas a Vasco Gonçalves e a Otelo Saraiva de Carvalho. O ambiente de tensão que se viveu em Portugal durante todo o Verão de 1975 ( Verão Quente), propiciou as condições para que militares radicais ocupassem bases de para quedistas, levando à resposta das forças militares controladas pelo Grupo dos Nove. Nesta fase de resposta militar avultam os nomes de Costa Gomes ( Presidente da República que emite a declaração de estado de sitio para a região de Lisboa), Vasco Lourenço ( enquanto elemento de ligação da Coordenadorado MFA a Costa Gomes - 2ª imagem), Jaime Neves ( Comandante do Regimento de Comandos da Amadora -2ª imagem) e o Tenente Coronel Ramalho Eanes ( coordenador das forças do Grupo dos 9 e futuro Presidente da República - 2ª imagem). Também aqui, Salgueiro Maia saiu com os seus blindados da EPCS para Lisboa apoiando as posições do Grupo dos Nove.
Segundo muitos é nesta data que termina o PREC ( Processo Revolucionário em Curso).

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Caderno de Actividades!

Após 2 meses de trabalho, a equipa de alunos do NE25A encarregue da preparação do " Caderno de Actividades" lança hoje o seu trabalho neste blogue.
Algumas das actividades propostas são já conhecidas, outras são originais da própria equipa ( num total de 20 propostas de trabalho para crianças dos 5 aos 10 anos de idade) .
Para aceder ao "Caderno de Actividades" em PDF, siga o link ( imagem).
Esperamos as vossas críticas/sugestões.

domingo, 21 de novembro de 2010

Dia Mundial da Televisão.

Em 1996 a Assembleia Geral da ONU proclamou o dia 21 de Novembro como o " Dia Mundial da Televisão". Na passagem desta data não podíamos deixar de lembrar, de forma sintética, o que foi este meio para Portugal.

As emissões da RTP iniciaram-se em 1957. Muitos dos que viveram a Revolução dos Cravos, recordam as imagens transmitidas em directo pela RTP, do Largo do Carmo, ou da libertação dos presos políticos em Caxias. Nos inicios dos anos 8o, a cor chegou ás emissões da RTP que passou a ter concorrência a partir de 1992 ( SIC) e 1993 ( TVI).

Como forma de comemorarmos a data, aconselhamos que recordem a noticia publicada neste blogue em 12 de Março ( Um Olhar sobre Portugal - etiqueta Materiais,Alunos), onde pode descarregar o video produzido pelo NE25A, com diversas imagens da época de Abril.

Para já deixamos aqui uma primeira pista para o nosso próximo Video que será publicado brevemente.


video

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Leituras em Dia...


Otelo Saraiva de Carvalho chamou-lhe " um homem de palavra de honra".

Sophia de Mello Breyner escreveu:
" Aquele que na hora da vitória
Respeitou o vencido
Aquele que deu tudo e não pediu a paga
Aquele que na hora da ganância
Perdeu o apetite
Aquele que amou os outros e por isso
Não colaborou com a sua ignorância ou vício
Aquele que foi fiel à palavra dada à ideia tida
Como antes dele mas também por ele
Pessoa disse"

Da autoría de António de Sousa Duarte, editado pela Âncora Editores e com prefácio de Mário Soares, aconselhamos a leitura do livro "Salgueiro Maia - Um Homem de Liberdade". Trata-se um livro biográfico sobre a vida do Capitão Salgueiro Maia, talvez um dos maiores ícones da revolução dos Cravos. Particularmente curiosa a acção descrita pelo próprio Salgueiro Maia para os acontecimentos do 11 de Março e 25 de Novembro de 1975.

sábado, 13 de novembro de 2010

Libertação da Prémio Nobel da Paz!



Aung San Suu Kyi, 65 anos, líder política e activista dos direitos humanos birmanesa, premiada com o Nobel da Paz em 1991, foi libertada hoje, sábado, após sete anos e meio consecutivos em prisão domiciliária, pela Junta militar que governa Myanmar (antiga Birmânia).
Esta heroína da Liberdade, conhecida no seu país pelo nome de Dama, filha de Aung San, o herói nacional da independência da Birmânia que foi assassinado quando ela tinha apenas dois anos de idade.
Viveu em Londres até 1988 tendo voltado à Birmânia nesse ano e liderado a contestação a 26 anos de repressão no seu país. Em 1990 o seu partido (Liga Nacional para a Democracia), obtém uma vitória esmagadora nas eleições; esta vitória de pouco serviu já que a Junta militar que governa a Birmânia, colocou-a em prisão domiciliária. Aung San Suu Kyi viu a sua luta ser premiada através da atribuição do Nobel da Paz (1991); em 1995, a prisão domiciliária foi-lhe levantada, mas por pouco tempo. Com efeito nos últimos 19 an0s, esteve 13 em prisão domiciliária. Aung San Suu Kyi, manteve desde sempre a luta pelos direitos humanos, pela liberdade e democracia seguindo 2 grandes exemplos: Mahatma Ghandi e Martin Luther King .

Para saberes mais segue o link (imagem)

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

92 Anos Depois!




Comemoram-se hoje, dia 11 de Novembro de 2010, os 92 anos da assinatura do Armistício de Compiégne. O armistício foi o tratado que colocou um ponto final ás operações militares decorrentes da 1ª Guerra Mundial (1914-18/19), entre os Aliados e o Império Alemão. Da parte Aliada o principal signatário foi o Marechal Ferdinand Foch e da parte Alemã, Matthias Erzberger.
Após a assinatura os participantes no conflito reuniram-se em Paris ( Conferência de Paz), de onde saíram vários tratados dos quais, os mais significativos foram o Tratado de Versalhes e a criação da Sociedade das Nações.

Não podemos esquecer a participação de Portugal nesta Guerra. O CEP (Corpo Expedicionário Português). A estadia do CEP em França foi sempre muito atribulada, não tendo havido a substituição de efectivos, devido aos navios britânicos necessários para isso, terem sido requisitados para o transporte das tropas americanas para a Europa e porque alguns dos oficiais que conseguiam vir a Portugal, já não voltavam para o seu posto em França.
Após La Lys, o governo de Sidónio Pais afirmou tentar enviar mais 10 a 15 mil homens, mas esse envio nem nunca foi efectivamente concretizado.
Neste esforço de guerra, chegaram a estar mobilizados quase 200 mil homens. As perdas atingiram quase 10 mil mortos e milhares de feridos, além de custos económicos e sociais gravemente superiores à capacidade nacional. Os objectivos que levaram os responsáveis políticos portugueses a entrar na guerra saíram gorados na sua quase totalidade.
A unidade nacional não foi conseguida por este meio e a instabilidade política acentuar-se-ia até à queda do regime democrático em 1926.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Angola... 35 anos depois.




No dia 10 de Novembro de 1975, o Alto Comissário e Governador-Geral de Angola, almirante Leonel Cardoso, em nome do Governo Português, proclamou a independência de Angola, transferindo a soberania de Portugal, não para um determinado movimento político mas sim para o “Povo Angolano”, de forma efectiva a partir de 11 de Novembro de 1975.
Foi assim que Portugal, após quase 500 anos de presença, durante os quais se foram cimentando amizades e caldeando culturas, com ingredientes que nada poderá destruir, entregou o território aos Angolanos.
O controlo de Angola estava dividido pelos três maiores grupos nacionalistas: o MPLA, a UNITA e a FNLA, pelo que a independência foi proclamada unilateralmente, pelos três movimentos.
O MPLA que controlava a capital, Luanda, proclamou a Independência da República Popular de Angola às 23:00 horas do dia 11 de Novembro de 1975, pela voz de Agostinho Neto dizendo, "diante de África e do mundo proclamo a Independência de Angola”, culminando assim o périplo independentista, iniciado no dia 4 de Fevereiro de 1961, com a luta de libertação nacional, estabelecendo o governo em Luanda com a Presidência entregue ao líder do movimento.
Holden Roberto, líder da FNLA, proclamava a Independência da República Popular e Democrática de Angola à meia-noite do dia 11 de Novembro, no Ambriz.
Nesse mesmo dia, a independência foi também proclamada em Nova Lisboa (Huambo), por Jonas Savimbi, líder da UNITA.

A independência de Angola é, ainda hoje em dia, motivo para várias teses explicativas e formulações históricas de sentido diverso. No âmbito dos “3 Ds”, a Descolonização dos chamados “territórios ultramarinos”, foi um dos processos mais dolorosos e marcantes da nossa história recente e marca de forma profunda a Revolução dos Cravos. Após as negociações encetadas entre o governo português e os movimentos nacionalistas das várias possessões portuguesas ( conforme constava do programa do MFA), as ex-colónias adquirem a sua independência. Infelizmente em casos como os de Angola e Moçambique, de forma pouco pacífica com o estalar de guerras civis entre os movimentos nacionalistas, mas também sem esquecer a angústia de centenas de milhares de refugiados portugueses ( conhecidos na altura por Retornados), que voltaram para Portugal, em situações bastante dramáticas ( de acordo com o Comissariado para os Desalojados criado na altura, retornaram cerca de 800.000 portugueses).
Para saberes mais, consulta os documentos disponíveis no Centro de Documentação 25 de Abril ( link no blogue)

domingo, 7 de novembro de 2010

Leituras em Dia...


No passado dia 6 de Novembro, este blogue recebeu uma visita de Bordéus (França). Uma das parcerias que estabelecemos para este ano foi com a Fundação Aristides Sousa Mendes ( link no blogue). Portugal não esquece o papel que o cônsul português teve durante os meses de 1940, particularmente após a queda de Paris nas mãos de Hitler. Aristides Sousa Mendes, completamente contra as indicações expressas do regime Salazarista, salvou 40000 refugiados judeus, das perseguições anti-semitas nazis.
A fim de lembrarmos este enorme contributo dado por Aristides Sousa Mendes e para que, os que queiram saber mais sobre estes acontecimentos, aconselhamos a leitura do livro de Avraham Milgram, " Portugal, Salazar e os Judeus". Esta obra, publicada pela Gradiva, em 2010, mostra o percurso dos Judeus perseguidos pelo Nazismo, em Portugal, durante a 2ª Guerra Mundial (1939/45). Verificamos, pela pesquisa histórica feita, que o regime português manteve uma relação dúbia composta de atitudes negativas e positivas, para com os refugiados judeus.
Uma obra a não perder.

Centenário... Actividades Souto S. Salvador


Da professora Anabela Lopes, da EB1 de Souto S. Salvador, recebemos um texto com a noticia de uma das actividades realizadas nesta escola, referente ás comemorações do Centenário da República.
A todos os que quiserem aceder a este documento, basta seguirem o link ( imagem).

A todos os que promoveram e participaram na iniciativa, o NE25A envia os mais sinceros parabéns.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Centenário... Materiais


Da professora Isabel Alves recebemos esta sugestão de material para a compreensão da República ( Iª/IIª/IIIª República).
Editado pela " PrimeBooks",com textos de Luis Miguel Pereira e desenhos de Pedro Ribeiro Freitas e Ricardo Galvão, apresentamos as " Caretas da República".
Trata-se de uma forma,"... leve e arejada, colorida e despreocupada.",de contar a República, através da escolha de momentos e personagens marcantes para os diferentes períodos da República Portuguesa ( na opinião dos autores).
Chama-se a atenção de que, de forma assumida pelos autores, o período pós 25 de Abril é aquele que mereceu mais espaço nesta obra.

A não perder!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Direitos Humanos!

No próximo dia 10 de Dezembro, celebra-se o "Dia da Declaração dos Direitos Humanos". Além de aconselharmos a ligação ao sitio da ONU ( consta dos nossos links favoritos), o NE25A vai proceder à publicação de uma série de materiais sobre a temática em questão. Esses materiais vão poder ser descarregados e utilizados por quem assim o desejar.

O primeiro material é um trabalho realizado por alunos da turma D, do 9º ano, da EB 2 e 3 de Briteiros, sob a orientação da Professora Nancy Leite, que pode ser descarregado seguindo o link ( imagem). Desde já agradecemos aos autores e à professora Nancy Leite, o envio deste trabalho. Todos aqueles que quiserem ver trabalhos sobre esta temática publicados neste blogue, enviem-nos com a necessária identificação, para o nosso e-mail.